sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Ciptur realiza solenidade em Luís Correia


A Companhia Independente de Policiamento Turístico - CIPTUR, realizou na manhã do dia 04/12/2019 (quarta-feira), formatura geral com os policiais lotado nesta unidade, com o objetivo de tratar de assuntos pertinente a operação veraneio de final de ano e entrega de medalha de honra ao mérito ao subtenente P. Oliveira pelos relevantes serviços prestados.

À noite, durante um festejo de Nossa Senhora da Conceição, realizado na igreja católica de Luís Correia, foi celebrado uma missa em homenagem a Polícia Militar.

Participou também da cerimônia, a convite da CIPTUR, o 28º PI/GRUPO DE ESCOTEIRO RAUL BARCELLAR, de Parnaíba, tendo como gestor o 1º Ten. Olavo Sales e a animação ficou por conta do Sgt Linhares. Durante o ofertório a Companhia ofertou alimentos, o Comandante da CIPTUR, Major Palhano esteve prestigiando o evento.


Oficiais da Briosa.com informações do PC

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Em entrevista, Petrarca Alelaf critica falta de transparência da diretoria do Parnahyba e alfineta Casé Neves

Petrarca Alelaf
Em entrevista veiculada na tarde desta quinta-feira (05) no programa "Ao vivo com Luzia Paula", o candidato da chapa de oposição à presidência do Parnahyba Sport Club, Petrarca Alelaf, fez duras críticas a atual diretoria do time e ainda alfinetou o adversário dele, Casé Neves. Petrarca, que é filho do saudoso Pedro Alelaf, tendo jogado no Parnahyba por dez anos como ponta direita, questionou também a falta de transparência das finanças do Club.
"Não temos nenhuma informação sobre as receitas do Parnahyba. Não sabemos quanto o time recebe de propaganda e nem de patrocínio. Tem ainda o valor mensal do aluguel da sede que seria de R$ 8 a R$ 9 mil reais. A verdade é que a diretoria do Parnahyba não tem transparência. Não há informações de quanto se gasta, nem tampouco de quanto se recebe. No entanto deve de ser algo muito bom, pois eles estão numa briga imensa por esta eleição", disparou.

Petrarca também levantou dúvidas sobre a candidatura da chapa da situação, ao afirmar que Casé não sairá como presidente. Ele chegou a chamá-lo de covarde. 


"O Casé não tem atitude para ser presidente de Club porque ele é um covarde. Falo em covardia em relação a falta de firmeza dele. Ele não tem coragem de bater no peito e entrar de fato como presidente do Parnahyba. Minha colocação não é pessoal e sim em relação a atitude dele. Ele é uma pessoa responsável, um empresário bem conceituado na cidade. No entanto, em relação ao futebol, não tem fibra. Duvido que ele saia de fato como presidente do Parnahyba e, caso entre e ganhe, no outro dia ele sai", alfinetou Petrarca. 


Assista a entrevista completa AQUI

Durante a entrevista, o ex-jogador Carlos Seixas, apoiador da candidatura de Petrarca, recebeu uma ligação de Casé que estaria indignado com as acusações do oponente. De acordo com Seixas, Casé ainda teria afirmado que não concorrerá à presidência do Parnahyba. “O Casé foi bem claro pra mim ao afirmar que não é 

candidato de coisa nenhuma”, sustentou Seixas ao vivo. Como o nome de Casé Neves foi citado, nossa reportagem entrou em contato com o empresário para que ele pudesse prestar esclarecimentos sobre sua possível desistência da candidatura. No entanto, o mesmo disse que no momento não irá se pronunciar. Todavia, a Redação do Jornal da Parnaíba e do programa “Ao vivo com Luzia Paula”, mantém o espaço aberto caso Casé Neves resolva falar.

Caso seja eleito, Petrarca disse que irá valorizar os profissionais da casa, desde os jogadores ao corpo técnico. “Sendo eleito, na minha administração irei valorizar o que tenho na minha casa. Contratarei um técnico da nossa região, pois temos excelentes talentos aqui que tem capacidade de fazer um excelente trabalho e levar o Parnahyba Sport Club a trazer títulos para o litoral, coisa que não ocorre há muito tempo”, disse.


Chapas
Nesta semana foi divulgado na imprensa que as eleições deste ano para a presidência do Parnahyba Sport Club teria duas chapas: a de situação, composta por Casé Neves como presidente e Batista Filho como vice. Já a chapa da oposição seria encabeçada por Petrarca Alelaf como presidente e Marcos Samaronne como vice-presidente. Entretanto, durante a entrevista Petrarca afirmou que a vice da chapa dele é a juíza Maria do Amparo. Já a vice da chapa da situação seria a desportista Socorro. 


Estúdios e fotos: Jornal da Parnaíba






Professor de jiu-jitsu preso por agredir idoso com barra de ferro é encontrado morto na Penitenciária Mista de Parnaíba

(Imagens Reprodução / WhatsApp)

Informações repassadas à nossa redação, dão conta de que o professor de jiu-jitsu Antônio Alberto de Araújo, de 44 anos, preso no dia 26 de novembro suspeito de agredir com uma barra de ferro um idoso, foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (05), dentro de uma cela da Penitenciária Mista de Parnaíba Fontes Ibiapina, em Parnaíba, PI. O idoso agredido à época chama-se Manoel e tem 60 anos de idade. Após audiência de custódia, o professor foi preso preventivamente e encaminhado para a penitenciária, onde foi colocado isolado em uma cela.
(Foto: Portal do Catita)
A versão repassada é de que Alberto veio a falecer após ficar cinco dias sem comer e sem beber, vindo a óbito em virtude de uma possível depressão. No entanto, a polícia negou tais informações e até o momento não há notícias do real motivo da morte do professor. No momento o corpo está sendo examinado no Instituto Médico Legal (IML).

Por Luzia Paula




Por Luzia Paula

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Falta de pagamento: Empresa contratada para dar continuidade à “adutora do litoral” paralisa serviços


Apesar da imensa propaganda em outdoors pelas cidades do Piauí, como em Parnaíba e na vizinha cidade de Luís Correia, por exemplo, em que o governo do estado faz propaganda, em relação à antiga obra da “adutora do litoral”, que nunca é concluída, tal obra foi totalmente paralisada em Parnaíba. Ao que tudo indica, por falta de pagamento, isto porque, segundo relato de trabalhadores da Empresa Terracon, contratada para a obra, há 6 meses eles não recebem seus salários.

Pela propaganda intensa que o governo do Estado faz agora desta interminável obra, tudo leva a crer que é por conta do ano eleitoral que se aproxima. Como o governo Wellington Dias é montado em cima da publicidade e da mentira, a conclusão a que se chega é a de que a famosa “Adutora do Litoral” é só mais uma obra do governo do Piauí que, sem data certa para terminar, vai se arrastar por anos e anos, como tantas outras.

A não conclusão de obras parece ser uma praxe do governo Wellington Dias; arrastá-las por anos, idem, assim como foi com a obra da Ponte Simplício Dias, que basta uma simples visualização para se constatar que não está concluída. Isto sem e falar na estrada PI-166, de acesso à Praia da Pedra do Sal.

O município de Parnaíba, por ordem do chefe do executivo municipal, com o apoio de fiscais da Seinfra (Secretaria de Infraestrutura) e acompanhamento da ASERPA- Agência Parnaibana de Regulação dos Serviços Públicos, agiu rapidamente e, tão logo percebeu a quebra da massa asfáltica nas mediações da Avenida das Normalistas, isso decorrente da obra do Estado do Piauí, denominada de Adutora do Litoral, realizou a fiscalização com notificação preliminar em 29 de outubro de 2019, da empresa Terracon. Depois, a Aserpa realizou audiência na data de 31 de outubro, com a citada empresa, que se comprometeu que até o dia 26 de novembro de 2019 iniciaria a reposição da massa asfáltica na extensão daquela Avenida, o que não ocorreu, fazendo-se necessária a lavratura de auto de infração.

A Administração Pública Municipal está atenta a esse descaso decorrente da obra do governo do Piauí na cidade de Parnaíba, pois não será admitida na atual gestão municipal a quebra da massa asfáltica por mais essa obra do estado e a sua não reposição, lembrando que termina agora no mês de dezembro do corrente ano o prazo para a estatal Agespisa realizar a reposição da massa asfáltica em vários pontos da cidade, em locais que onde foram quebrados a massa asfáltica e o calçamento, decorrente de serviços realizados pela Agespisa, conforme acordado na Audiência perante o juizo da 4ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública.

Ainda em relação à essa antiga obra do estado, denominada “adutora do litoral”, ações administrativas já foram e serão tomadas, podendo culminar, inclusive, com o embargo da obra no município. E caso seja necessário, serão tomadas a medidas judiciais para que os responsáveis pela obra sejam compelidos a reporem toda a massa asfáltica danificada.

(ASCOM)

Escritores parnaibanos vão pedir instalação de biblioteca no Porto das Barcas


O escritor Antonio de Pádua Marques, que acaba de presidir a comissão eleitoral da Academia Parnaibana de Letras para a escolha de quatro novos membros, declarou nesta quarta-feira (4) que a categoria vai pedir à Secretaria Estadual de Cultura a instalação de uma biblioteca no complexo turístico do Porto das Barcas (Parnaíba/PI), atualmente em obras de restauração previstas para conclusão no final de 2020.

Esta biblioteca, segundo Pádua Marques, seria para escritores piauienses, com toda a estrutura para a realização de debates, concertos, lançamento de livros e até exposições de artes plásticas. Um espaço onde o turista pudesse encontrar no todo ou em parte o que os escritores piauienses, principalmente os parnaibanos, estão produzindo. “Lancei a ideia entre meus amigos acadêmicos e escritores e a receptividade foi muito boa”, disse o escritor.

Autor de livros publicados como A Rua das Flores, Gato Ladrão de Sebo e O Libertador de Cuba, o escritor e jornalista Antonio de Pádua Marques Silva, acredita que se atendido esse pedido dos escritores parnaibanos, o centro histórico e cultural recupera um de seus eixos, o de leitura, desde quando a biblioteca municipal foi deslocada da rua Duque de Caxias para a rua Marechal Pires Ferreira no bairro de Fátima.

Por Marcello Silva Categoria Colunas, Literatura, Pádua Marques, Parnaíba, Porto das Barcas

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Paraíba trás ofertas especiais para esta primeira semana de dezembro; Confira!





Senado deve votar projeto que proíbe sacrifício de animais de rua


O Senado pode aprovar na próxima terça-feira (3) uma lei que proíbe o sacrifício, para fins de controle populacional, de cães, gatos e aves por órgãos de controle de zoonoses, canis públicos e estabelecimentos similares. As regras para esse controle por casos de doenças infecciosas típicas de animais e que podem ser transmitidas para seres humanos e vice-versa estão previstas no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 17/2017. 

O objetivo do texto é criar condições para que os estabelecimentos públicos de controle de zoonoses adotem práticas menos cruéis para controlar o número de cães e gatos que vivem na rua. O PL prevê, por exemplo, a castração dos animais por veterinário em localidades onde haja superpopulação comprovada por estudo. A eutanásia só será permitida caso o animal tenha doença grave incurável que coloque em risco outros animais e também humanos. Nesse caso, a medida deverá ser precedida de um exame e justificada por um laudo técnico.

A proposta ainda estabelece que as entidades de proteção animal tenham “acesso irrestrito à documentação que comprove a legalidade da eutanásia”. Quem descumprir a lei, caso seja aprovada, poderá sofrer as punições constantes na Lei de Crimes Ambientais, a Lei 9.605, de 1998.

De acordo com o projeto, os animais poderão ser recolhidos por entidades de proteção para disponibilizá-los à doação. A proposta original também autorizava o Poder Executivo a celebrar convênios e parcerias com entidades de proteção animal, Organizações Não-Governamentais (ONGs), dentre outras instituições, para a realização de feiras de adoção. Mas, por entender que esse artigo interferia nas competências de outro Poder, os senadores optaram pela retirada do trecho.

Aves
A proposta original só tratava da situação de cães e gatos. A relatora do projeto na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, Soraia Thronicke (PSL-MS), acatou uma emenda de Telmário Mota (Pros-RR), que inclui as aves. “Anualmente o Ibama apreende de centenas a milhares de aves - silvestres ou domésticas -, que são mantidas em cativeiro ou submetidas a maus-tratos. Muitas delas não possuem condições de retornar à natureza e, muitas vezes, não há o interesse dos zoológicos em recebê-las. Nesses casos, os animais são submetidos à eutanásia. Como consideramos esta prática cruel e absurda, queremos que as aves também não sejam abatidas”, disse o senador.

O projeto já passou pela Câmara e foi aprovado na comissão do Senado em outubro. “Consideramos a proposição relevante para o bem-estar dos animais e a proteção da saúde humana. Este parlamento contribui para a profissionalização da política pública referente ao cuidado e ao maneja dos animais que se encontram sob a guarda de órgãos de controle de zoonoses”, disse o senador Jaime Campos (DEM-MT), membro da CAS.

Fonte: Com informações da Agência Brasil